Glossário de Termos Arquitetônicos

Árabe

  • Funduc, hotel com depósito de mercadorias, que definia um quarteirão fechado (“Fondaco” em Veneto, Itália, inclusive atualmente utilizado no uso cotidiano da língua veneta).
  • Hamám, banho público ou particular mas, em geral, considerado um serviço público.
  • Iwan, pórtico aberto de um pátio interno de uma habitação.
  • Madrassa, colégio, escola religiosa, teológica e de direito religioso.
  • Maqad, galeria ou pórtico aberto de uma casa; elemento arquitetônico clássico da Renascença italiana.
  • Maqsura, divisória de proteção de madeira ou tijolo em volta do mihrab e do minbar.
  • Maydan, espaço central aberto de uma edificação.
  • Mihrab, nicho na parede de uma mesquita que indica a direção de Meca para a oração.
  • Minarete, torre da mesquita para chamada das orações pelo muezim.
  • Minbar, púlpito da mesquita, lugar de oração do muezim.
  • Muezim, líder religioso.
  • Muxarabe, proteção decorativa em madeira colocados em frente das janelas.
  • Muqarnas, elemento decorativo que imita uma cachoeira, mas sobretudo as estalactites de uma gruta.
  • Riwad, pórtico em volta do sahn.
  • Sabil, chafariz.
  • Sakhra, grande rocha lisa.
  • Sahn, pátio interno geralmente encontrado nas mesquitas.
  • Suk, grande mercado.
  • Ziyadah, pátio interno específico das mesquitas.

Turco

  • Aga ou Agha, senhor de grande respeito, ancião, paxá, proprietário.
  • Arasta, mercado coberto menor ou de bairro, do qual os ganhos econômicos são utilizados também para a manutenção da mesquita local.
  • Atabeg, comandante geral, quase sultão, origem turca.
  • Cami, mesquita de congregação, menor do que a mescit.
  • Caravansará,(caravana e saray, palácio) edificação para descanso das caravanas.
  • Külliye, complexo formado de colégio religioso, além de hospedaria, banho público (hamám) e cozinhas.
  • Maristan, hospital, palavra de origem persa, da junção de marídun, em árabe, doente, e de stan, lugar.
  • Mescit, capela com minbar para a oração das sextas-feiras.
  • Saray, palácio ou complexo que inclui quiosques, claustros, madrassa, hotelaria, biblioteca e banhos públicos.
  • Tekke, convento dos dervixes.
  • Turbe, mausoléu ou tumba, termo derivado de kübets da língua seldjúcida.
  • Yali, mansão com jardim nas bordas do Bósforo.
  • Stan, sufixo, como em “Turcomenistan”, Turcomenistão, usado para indicar lugar.
  • Vizir, cargo político de primeiro ministro logo depois do sultão.

Armênio

  • Gavit, volume cilíndrico ou poligonal, muitas vezes octogonal, sobreposto de uma cobertura em forma de pirâmide, que cobre um grande espaço central da igreja.

Português

  • Abóbada, teto côncavo em sua totalidade ou em uma de suas secções. Enquanto o arco delimita um vão, a abóbada cobre uma superfície.
  • Bífore, arco com duas aberturas iguais, usado mais freqüentemente nas janelas.
  • Cerâmica, arte de fabricação de argila cozida, usada neste texto como cerâmica.
  • Lesena, nome que também se dá à pilastra.
  • Lójia, galeria, arcada, pórtico abobadado.
  • Maiólica, referente à faiança italiana específica do período do Renascimento.
  • Nave, nome do espaço livre no interior das igrejas que vai desde a porta fronteira até o altar maior. A igreja pode ter mais que uma nave: a nave principal e as laterais.
  • Nervura, arco que faz saliência no intradorso das abóbadas de arestas, separando os pendentes, sugerindo força e solidez no sistema estrutural. Viga saliente inferior da laje.
  • Porcelana, material cerâmico de fina textura e grande resistência, composto de caulim e feldspato (silicato de alumínio e metais alcalinos como potássio, sódio e cálcio).
  • Tímpano, superfície lisa ou ornamentada, limitada por um ou dois arcos ou por qualquer arquitrave superior.
  • Transepto, nave transversal que separa a nave principal do altar maior dando à planta a forma de cruz.
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *